Mensagem de Wellington Silva Jardim (Eto) no programa "Sorrindo pra Vida" da TV Canção Nova, 09/2/2010.

 

          Eu quero convidar você para abrir a Palavra de Deus no I Coríntios 7,25-33.

         “A respeito das pessoas virgens, não tenho mandamento do Senhor; porém, dou o meu conselho, como homem que recebeu da misericórdia do Senhor a graça de ser digno de confiança. Julgo, pois, em razão das dificuldades presentes, ser conveniente ao homem ficar assim como é”.

         Por que Paulo fala sobre as angústias presentes? A angústia presente num casamento é algo real. Quem não está preparado para enfrentá-la é melhor não se casar, pois o casamento exige maturidade.

         “Estás casado? Não procures desligar-te. Não estás casado? Não procures mulher.” Se você se desliga do seu cônjuge o problema é muito maior. Se não formarmos [de acordo com a lei divina] hoje os casais que querem se casar eles irão se separar! Segundo as estatísticas, nos anos 80, de cada 10 casamentos 1 terminava; nos anos 90, de cada 10 casamentos, 5 chegavam ao fim. Atualmente de cada 10 casamentos apenas 1 resiste. A coisa mais importante para nossa vida é a Eucaristia. Se você é um bom marido, uma excelente esposa, mas não vive o temor a Deus, não caminha com Ele, você não tem como resistir às dificuldades do tempo presente.

         “Mas, se queres casar-te, não pecas; assim como a jovem que se casa não peca. Todavia, padecerão a tribulação da carne; e eu quisera poupar-vos”. Casamento é fácil? Não. Vida a dois não é algo fácil. Em maio, eu e a Luzia vamos completar 20 anos de casados. Mas, com todo este tempo, eu e ela pensamos de modo diferente e lutamos para um compreender ao outro. O equilíbrio de um casal é encontrado em Jesus Cristo.

         Quantos problemas há neste mundo envolvendo o casal? Muitos. Um deles é a situação financeira. Muitos casamentos foram à ruína por causa da crise financeira, porque o casal não conversou sobre a situação financeira vivida, não cortaram os gastos em demasia, etc. Você e sua esposa precisam administrar o salário que recebem. É preciso tomar cuidado com tudo aquilo oferecido pelo mundo para vocês que estão se preparando para o casamento!

         “Mas eis o que vos digo, irmãos: o tempo é breve. O que importa é que os que têm mulher vivam como se a não tivessem; os que choram, como se não chorassem; os que se alegram, como se não se alegrassem; os que compram, como se não possuíssem; os que usam deste mundo, como se dele não usassem. Porque a figura deste mundo passa”. O tempo é breve. E nós precisamos dar a nossa vida a Deus. Uma armadilha do mundo é tirar o nosso tempo com o Senhor. Às vezes, você está descansando e, de repente, a sua cabeça começa com pensamentos do tipo: “Faça isso!...Vá a tal lugar” e você acaba indo a lugares para os quais não tem condições financeiras para ir e arruma gastos que não poderia assumir naquele momento. Você e seu cônjuge precisam ter o tempo de vocês, mas sem ignorar o tempo devido a Deus. Infelizmente, cada vez menos temos tempo para Deus!

         Muitos não se contentam com aquilo que têm! O mundo comercial é muito violento. Precisamos pensar: “Eu preciso mesmo comprar esta camisa?” Ou: “Preciso comprar este par de sapatos?” A mídia força a pessoa a comprar aquilo que, muitas vezes, não é realmente necessário. E a pessoa compra e acaba deixando guardado aquilo que comprou!

         Jesus pede que planejemos a nossa vida. Famílias inteiras perderam o rumo por causa de dívidas. A pessoa consumista, viciada em compras, acaba sendo massacrada pelo mundo em seus desejos e vontades.

         É Jesus quem nos diz, em Sua Palavra, que ao começarmos algo devemos ver se temos condições de levá-lo até o fim. É preciso sentar e fazer os cálculos! Do contrário, seremos ridicularizados.

         Hoje deparamos com famílias desestruturadas por causa de cheques especiais, cartões de crédito, empréstimos bancários, agiotas... Fuja dessas coisas! Deus quer livrar você de tudo isso. O maior estrago em uma família são as dívidas. Começa com preocupações e depois acaba numa depressão chegando até o suicídio! Olhe as tribulações que a pessoa tem por causa da parte econômica! Tendo ou não tendo dinheiro, a pessoa quer comprar de forma compulsiva. E isso é uma doença. A família dela sofre, a pessoa acaba em vícios e viola os princípios bíblicos.

         A maioria de nós quer se casar. Mas eu digo: prepare-se para isso espiritualmente, em primeiro lugar, mas também economicamente. Saiba que o seu casamento se divide em duas partes importantes: a espiritual e a econômica. E o equilíbrio vivido entre estas duas partes resulta num casamento feliz.