Ah! Se o silêncio fosse mais barato... No fim do ano há muitas ofertas nos mercados e nas lojas, mas um desconto especial no preço do silêncio é raro hoje em dia.  

          Quem der uma volta na cidade comprova que adolescentes e jovens andam com música a todo volume nos ouvidos, o alto-falante anuncia ofertas e bailes de dezembro. O Natal fica pertinho, mas o silêncio, longe demais. 

          A verdade é que o silêncio está fora de moda: enche-se a boca e o ouvido de palavras para não aparecer o vazio interior, simplesmente por temor ao vazio. Hoje se exterioriza da maneira mais rápida possível tudo o que acontece no mundo. Se procura intensificar a comunicação com qualquer notícia emocionante, uma bela paisagem e tantas propagandas. O barulho, porém, não parece garantir a felicidade; se assim fosse não teríamos tantos jovens frustrados na segunda-feira. É o sabor do silêncio...

           Saborear o silêncio não é coisa fácil e econômica. As numerosas oportunidades de relação e de informação que a sociedade moderna oferece correm o risco de roubar espaço ao recolhimento, até fazer que as pessoas sejam incapazes de refletir e rezar: assim o cristão facilmente faz greve no Advento, fugindo da preparação espiritual para a Celebração do Nascimento de Jesus.  

          Ao ver as ruas e praças de nossas cidades adornadas com luzes resplandecentes, recorde que estas luzes evocam outra luz, invisível para nossos olhos, mas não para nosso coração. Não se preocupe com a compra de vestidos luxuosos: melhor revestir-se com boas obras e com a Confissão! É o que a igreja recomenda no Advento. Os vestidos podem cobrir as partes do corpo, mas não adornam a consciência.  

          Deus age na história de modo surpreendente: Ele torna-Se criança no silêncio de um curral. Para nascer Jesus escolheu o silêncio, e é por isso que Ele quis nascer uma cidadezinha insignificante. Também hoje, a Palavra de Deus descende ali onde encontra um pouco de silêncio, pois só no silêncio o homem consegue escutar no íntimo da consciência a voz de Deus.  

          Silêncio não é um simples calar; é maravilha, estupor, adoração. Abra o seu coração para acolher o Menino Jesus que já está às portas.

 

Seminarista Jauri Strieder

jstrieder@legionaries.org